Terça-feira, 31 de Janeiro de 2006

Fuga...

marionete.jpg

Apagam-se as luzes, no silêncio premeditado, esvoaçam anónimas vibrações de aplausos inúteis e inglórios. Sobre mim, cai o pano da verdade, a alma fica a descoberto revelando a pura nudez da minha essência, lentamente as emoções e os sentimentos verdadeiros, são resgatados da mentira obscura.
Recolho-me no exíguo camarim do meu âmago, caracterizo-me de mim, revejo-me no espelho do tempo, e deixo de ser aquilo que quero ser, para ser o que sou.
Desenlaço das mãos, a inocência, que escondo, quando me defendo das falsas luzes da ribalta, acendo a ternura do meu olhar, e experimento a liberdade de rir, chorar e gritar sem guião.
Protegida, na cumplicidade da escuridão, solto o pesado ónus da minha existência, desato as amarras que me confinam os movimentos, inverto a história, e fujo da realidade artificial que me inventaram.
Descubro então, a espontaneidade do meu sorriso, quando saio airosamente pela porta principal dos meus sonhos e vou ao teu encontro...

publicado por cabeça na lua às 02:32
link do post | comentar | favorito
|
15 comentários:
De Anónimo a 1 de Fevereiro de 2006 às 08:52
Magia, sempre as palavras derivadas de mensagens sentidas e constatadas, deixando-as voar no espaço e no momento tudo aquilo que está contido na mente, manifestando-se a liberdade no pensamento. Mil encatamentos.soslayo
(http://mategoinmente.blogspot.com)
(mailto:mategoinmente@gmail.com)


De Anónimo a 1 de Fevereiro de 2006 às 00:33
Abandonaste o palco na altura certa!Até o melhor expectador se cansa de uma actuação aínda que seja a melhor actuação do mundo. Beijinho grande :)Tino
(http://lostwordsite.blogspot.com)
(mailto:a.amaro1971@gmail.com)


De Anónimo a 31 de Janeiro de 2006 às 23:43
Texto muito bem escrito com uma metáfora muito bem conseguida. É bom retirar a máscara e sermos nós próprios, embora isso tenha sempre os seus riscos ...

Um beijoPink
(http://firebud.blogspot.com/)
(mailto:the_pink_lady@sapo.pt)


De Anónimo a 31 de Janeiro de 2006 às 22:50
É tão bom quando conseguimos ser nós mesmos, sem ter que esconder ou dar satisfações a ninguém!
Um beijoMEDUSA
(http://blog.comunidades.net/medusa/index.php)
(mailto:mlurdes95@hotmail.com)


De Anónimo a 31 de Janeiro de 2006 às 21:24
gostei muito do que li neste teu recanto encantador, repleto de emoções profundas.

BeijosIsa
(http://singular.blogs.sapo.pt)
(mailto:singularidade@sapo.pt)


De Anónimo a 31 de Janeiro de 2006 às 21:13
A viad é dificil mas devemos ser correr atrás dos nossos sonhos...abrir portas e janelas...e tentar correr atras dos sonhos! Vai atras do teu,...
pensadorapensadora
(http://pensadora2.blogs.sapo.pt/)
(mailto:pcap37@hotamail.com)


De Anónimo a 31 de Janeiro de 2006 às 19:47
Na quebra das correntes que nos aprisionam reside a força que nos impulsiona a ir mais além, a procurar no mais remoto lugar, ou, mesmo logo ali ao lado, aquilo que sempre soubemos estar ali.alfa69
(http://daquidali.blogs.sapo.pt)
(mailto:aalmas@marbosserra.pt)


De Anónimo a 31 de Janeiro de 2006 às 17:59
Simplesmente lindo!! Adorei os teus textos, a beleza, a pureza, a força e a honestidade deles. Parabéns ;) beijinhos Just___me
(http://falandocomigo.blogs.sapo.pt)
(mailto:Just___me@sapo.pt)


De Anónimo a 31 de Janeiro de 2006 às 16:16
tragam-me um actor /
(empalhado que seja)/
que me represente no palco //

sem luzes nem cortinas /
apenas: um actor e um palco /
a fazerem de mim e de mundo /
sem engrenagens nem bastidores /
um mundo só /
redondo /
liso /
de cara lavada /
sem maquilhagem de palhaço //

dêem-me um palco /
(movediço que seja) /
em que possa mimar meus próprios dramas /
inventados /
desfilar meus pequenos cenários d’alma /
adiados //

dêem-me um acto /
(monólogo que seja) /
apenas um acto /
e vereis o que é sonho /
e desejo /
e mimo /
e morte /
e fado /
soprados à voz ciciada do ponto //

dêem-me um papel /
uma deixa /
(curta que seja) /
p’ra fingir o que sinto /
neste teatro cambado /
que enceno por vida /
por mundo /
e por palco ///

Jorge Casimiro
jorge
</a>
(mailto:jorge_casimiro@sapo.pt)


De Anónimo a 31 de Janeiro de 2006 às 16:01
Como é bom viver sem máscaras e sem papéis escolhidos pelos outros...Luisa
(http://ecosdotempo.blogs.sapo.pt)
(mailto:luisa34@netcabo.pt)


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28


.posts recentes

. Convite...

. Prazer...

. Acreditar...

. Silêncio...

. Ausência...

. Hoje não...

. Fuga...

. Encanto no olhar...

. Ultima vez...

. Tocas-me...

.arquivos

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds