Segunda-feira, 14 de Novembro de 2005

Liberto-me

livre.jpg

Já não me conheces, cresci, dei voltas ao mundo, de mágoas cheias ás costas, e tu, não sentiste a minha falta, bati com a porta, e tu, correste a fechá-la à chave, chamei o teu nome do fundo de um poço que me ajudaste a fazer, e tu, não me ouviste, escrevi-te cartas na alma, e tu, rasgaste as folhas em branco que encontraste, pousei para descansar nos teus ramos, e tu, derrubaste a árvore, cresci, e tu, já não me conheces, fui cobaia numa magia de Amor que tomei em doses reforçadas e ganhei pernas e asas para partir, e voltar para junto de ti, mas tu não sabes, não vês que cresci por dentro, onde os teus olhos não chegam.

2004

publicado por cabeça na lua às 14:46
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 14 de Novembro de 2005 às 16:27
li-te e não vi ausências caladas..apenas suspiradas..cm
(http://artigente.blogspot.com/)
(mailto:carlos_sil@hotmail.com)


De Anónimo a 14 de Novembro de 2005 às 14:53
Gostei mto das tuas palavras, ecoaram pelos quatro cantos do meu monitor....Continua (!)António
</a>
(mailto:manolo1@clix.pt)


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28


.posts recentes

. Convite...

. Prazer...

. Acreditar...

. Silêncio...

. Ausência...

. Hoje não...

. Fuga...

. Encanto no olhar...

. Ultima vez...

. Tocas-me...

.arquivos

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds